Foto: Djalma Jr/Asscom Sepror

 

A Secretaria de Estado da Produção Rural estuda formalizar um termo de cooperação técnica com o Instituto Sindicale per la Cooperazione allo Sviluppo (ISCOS), Organização não Governamental (ONG) de origem italiana que atua com ações sociais, setor rural e povos indígenas, na região do Alto Solimões. A ideia foi discutida durante reunião nesta segunda-feira (05/01), na sede do Sistema Sepror.

De acordo com o secretário da Sepror, José Aparecido dos Santos, a ONG já vem desempenhando um papel importante na região, em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário Florestal e Sustentável (IDAM) - órgão integrante do Sistema Sepror-, através do Projeto Solimões Sustentável que tem como proposta o desenvolvimento sustentável na Mesorregião do Alto Solimões. “A oficialização do termo de cooperação vai potencializar as ações do setor rural na região. O Sistema Sepror está à disposição para unir esforços que promovam o desenvolvimento sustentável para incluir no agronegócio brasileiro”, comentou José Aparecido.

O secretário da pasta destacou que no Alto Solimões se destacam as potencialidades de produção de hortaliças, mandioca, peixe e entre outros. E completou que a intenção do Governo do Amazonas é que até o fim do ano seja realizado um concurso público para o IDAM e ADAF. “São esses recursos humanos que darão eficácia as ações de políticas públicas e de assistência técnica para todas as atividades que já estão em andamento”, comentou.

 
Foto: Djalma Jr

Reunião na sede da Sepror

 

Segundo Silvia Ayón, especialista em economia social e desenvolvimento local da ISCOS, a ONG atua nos nove municípios da região (Atalaia do Norte, Amaturá, Benjamim Constant, Fonte Boa, Jutaí, São Paulo de Olivença, Santo Antônio do Iça, Tonantins e Tabatinga) e que o objetivo do Termo de Cooperação é proporcionar o fortalecimento da economia local conforme as características de produção de cada município. “Vamos identificar as principais potencialidades por municípios e dos nossos produtores rurais e a Sepror tem a capacidade técnica e orientação para que, sobretudo, seja fortalecida a agricultura familiar da região”, comentou ela.