Desde maio deste ano, o Amazonas conquistou uma vitória no setor da pecuária, que era um desafio há 60 anos. Em anúncio oficial, a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) certificou o Amazonas como “região livre da febre aftosa com vacinação”, resultado de ações desenvolvidas pelo governo Amazonino Mendes, por meio de trabalho conjunto entre órgãos estaduais e entidades parceiras.

 

O Amazonas possui conforme dados oficiais, um rebanho estimado em 1.385.000 animais, sendo que as principais raças são Nelore, Girolando e Gir. O estado não possui grande tradição nessa atividade, portanto, a maior parte do rebanho destina-se à subsistência, outra vai para o corte e outra para a produção de leite. Os maiores rebanhos estão nos municípios de Boca do Acre, Lábrea, Apuí e Manicoré, no sul do Amazonas.

 

 

A certificação que tornou o Amazonas livre da febre aftosa oferece uma possibilidade de aumento da atividade da pecuária no Estado, tendo em vista que, enquanto persistiu a situação, não havia a menor possibilidade dos produtores sequer sonhar em chegar ao mercado nacional ou mesmo internacional, ambos extremamente rigorosos no controle de qualidade sanitária dos produtos de origem animal.

 

Nesse cenário, a comercialização de animais vivos do Amazonas está permitida para toda a federação brasileira, exceto para o Estado de Santa Catarina, que é livre de febre aftosa sem vacinação. O Amazonas, através da Adaf, vem executando ações que buscam a equivalência do Serviço de Inspeção Estadual-SIE/AM para a adesão do Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal – SISBI-POA, para garantir a comercialização dos produtos produzidos no Estado em todo o Brasil, além do selo Arte, para comercializar produtos artesanais oriundos de agroindústrias de pequeno porte do Estado.

 

 

Dinheiro no setor – Das 47 unidades veterinárias da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf) no interior do estado, 11 unidades foram reformadas. Essas unidades que receberam investimentos do governo a fim de oferecer melhor atendimento estão localizadas nos seguintes municípios: Apuí, Boca do Acre, Humaitá, Itacoatiara (Novo Remanso), Manicoré (Matupi), Careiro da Várzea e Careiro Castanho, Maués, Iranduba, Autazes sede e do distrito de Novo Céu.

 

 Sobre a doença –  A febre aftosa é uma doença causada por um vírus altamente contagioso, que acomete bovinos, bubalinos, caprinos, ovinos, suínos e outros animais de cascos fendidos. Os sinais clínicos são salivação (babeira), claudicação (manqueira), vesículas (feridas) na boca, patas e úbere de bovinos, búfalos, caprinos, ovinos, suínos, além de outras espécies de casco fendido. A prevenção da doença é controlada através da vacinação.

 

 

FOTOS: ROBERTO CARLOS/SECOM

 

 Mais informações: Assessoria de Comunicação da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf): Deyserreen Costa (99333-8273).