O Governo do Amazonas busca apoio, em Brasília, para facilitar o acesso dos ribeirinhos aos programas do Governo Federal voltados ao setor primário. A questão foi tratada durante reunião, nesta terça-feira (26/02), entre o secretário Estadual de Produção Rural (Sepror), Petrucio Magalhães Júnior, e a titular do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Tereza Cristina. Na ocasião, o secretário da Sepror entregou para a ministra os ofícios assinados pelo governador do Amazonas, Wilson Lima, referentes às demandas do setor.  

De acordo com Petrucio, esse é um marco histórico para o Estado do Amazonas, no que diz respeito ao setor primário. “Pela primeira vez, o Governo do Amazonas manifesta a intenção de acessar as políticas do Governo Federal voltadas para os agricultores, produtores e ribeirinhos. Nós estamos em um estado de dimensões continentais e naturalmente todo apoio na logística para o pequeno agricultor extrativista é muito importante”, explicou o secretário da Sepror.

 

 

Na pauta da reunião, a regularização fundiária, o uso do Prêmio para Escoamento do Produto (subvenção econômica concedida àqueles que se disponham a adquirir o produto indicado pelo Governo Federal, diretamente do produtor rural e/ou cooperativa, pelo valor do preço mínimo fixado) e a adesão ao Programa Garantia-Safra (garantia ao agricultor familiar de um benefício financeiro, por tempo indeterminado, caso o mesmo perca sua safra devido a fenômenos de estiagem ou excesso hídrico).

Além disso, o titular da Sepror e a ministra trataram sobre o abastecimento de milho para atender os criadores rurais cadastrados no Programa de Vendas em Balcão, já que o Amazonas ainda não possui produção de milho suficiente para atender a demanda interna, o que nos torna totalmente dependentes do abastecimento por meio dos programas federais (Vendas em Balcão e Leilões). “Sem leilões e com estoque de milho que recentemente se encontravam zerados, os criadores passam por prejuízos econômicos. Isso agrava a insegurança alimentar e nutricional em um estado que tem 49,2% da população na pobreza”, lamentou o secretário da Sepror.

 

 

Garantia – De acordo com o gestor do escritório do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam) de Boca do Acre (distante 950 quilômetros de Manaus), Alexandre Mesquita, o Programa Garantia-Safra, se aprovado, disponibilizará o benefício de R$ 850 para os ribeirinhos atingidos pela enchente, levando uma grande ajuda aos produtores que vivem em pequenas comunidades. “Tem produtor que investe pesado e perde toda a plantação. No caso, esse benefício vai ser muito bem-vindo para esses pequenos produtores”, informou Alexandre.

O secretário Petrucio Magalhães Júnior saiu do encontro muito satisfeito com a sinalização positiva apontada pela ministra ao Estado do Amazonas. “O Amazonas será pioneiro no acesso a essa política e a ministra Tereza Cristina foi bem sensível ao afirmar que os técnicos do Mapa irão avaliar a possibilidade de atender o estado”, concluiu o secretário. 

Também participaram da reunião, o superintendente federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Amazonas (SFA-AM), Guilherme Pessoa, e o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Amazonas (Faea), Muni Lourenço.

 

 

 

 

 
FOTOS: Divulgação / Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil – CNA 

Assessora de Comunicação da Sepror: Mayana Tomaz (98121-5632)