A Secretaria de Estado da Produção Rural (SEPROR) é responsável pelo planejamento de todas as ações no setor primário. E apesar dos trabalhos voltados para o campo, a Sepror investe tempo, recursos financeiros e tecnologia em educação. É assim que atua o Departamento Pedagógico(Depe), identificando as demandas da população, elaborando a táticas de atuação e chegando até os agricultores por meio do Centro de Mídias da Secretaria de Educação (Seduc), com cursos e treinamentos a distância.  Diversos temas de interesse do primeiro setor são desenvolvidos pelo Depe, com ajuda dos especialistas em cada um dos assuntos. “A Educação é o caminho, inclusive na produção rural. Com mais conhecimentos a probabilidade de melhores resultados é bem maior. Não estamos dando o peixe, mas ensinando a todos como pescar. Isso é amor à causa pública”, declara o Secretário da Sepror, José Aparecido dos Santos.

A parte prática do que é planejado para a “educação” é feito pelo Sistema Sepror (Idam, Adaf, ADS). As aulas são ministradas dentro dos estúdios do Centro de Mídias da Seduc e via internet são transmitidas ao vivo para todos os municípios que se inscreverem para o módulo.  A mobilização em cada um dos municípios, com a divulgação dos cursos e as explicações necessárias em defesa da participação dos agricultores, é feita pela Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf) e do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário Florestal Sustentável do Amazonas (Idam) com escritório em todos os municípios do Amazonas. “Fazemos a divulgação dos cursos, explicamos a importância do aprendizado continuado pros agricultores e então buscamos a parceria da prefeitura ou das escolas equipadas com internet para as aulas, tipo vídeo conferência. Isso tem uma importância para a produção rural, mas também causa um impacto social positivo, despertando o interesse dos homens do campo para os estudos”, acrescenta João Campelo, presidente do IDAM.

A Secretaria de Aquicultura e Pesca (Sepa) uma das parceira do Depe, ministrou na última semana, o terceiro módulo (anual) sobre beneficiamento de pescado. Os responsáveis foram os engenheiros de pesca Aline Sousa, Marcio Pinheiro e Luana Montenegro, que detalharam aos alunos os procedimentos técnicos do beneficiamento de pescado, deste a captura do peixe até a entrega do mesmo ao consumidor final. “De forma geral, todos sabem a maioria dos procedimentos. Contudo, para um retorno financeiro melhor, alguns detalhes precisam ser observados pelos produtores. É assim na aquicultura, na agricultura, na pesca. Com conhecimento teórico o produtor rural agrega valor ao próprio trabalho”, explica Geraldo Bernardino, Secretário Executivo Adjunto de Pesca e Aquicultura. “O beneficiamento de pescado permite a elaboração de embutidos tipo linguiça, empanados, defumados, salga e outras formas, que aproveitam, conservam e geram novas oportunidades e valor para espécies pouco consumidas pelos amazonenses”, complementa Bernardino.

Trabalho contínuo do Departamento Pedagógico da Sepror O Departamento de Pedagógico tem um trabalho continuado. Além dos cursos à distância, desenvolve por meio de parcerias com instituições de ensino, seminários e treinamentos. Em outubro, junto com o Centro Universitário Luterano de Manaus (Ulbra), o Depe realizou a Sétima Mostra Científica e Interdisciplinar de Pesquisa e Extensão. ”Foi um momento importante, de muito aprendizado e troca de experiências. O objetivo é a melhoria do sistema produtivo, melhoramento genético das espécies, novas tecnologias de produção, proteção e preservação da natureza. O aprendizado é necessário e ininterrupto”, Explica Ellen Vaz, chefa do Departamento pedagógico da Sepror.

Nas quartas-feiras, dias 22 e 29 de novembro, os produtores de todo o interior do Amazonas terão a oportunidade de mais quatro horas de aprendizado. Desta vez o curso, dividido em duas transmissões , vai ser sobre Boas Práticas Agrícolas para o Cultivo do Abacaxi.  Os ministrantes serão Sammya Agra – Engenheira Agrônoma da Sepror e Marcos Garcia, pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa Amazônia Ocidental. “É o momento para que todos os produtores aprendam e tenham acesso às práticas que dão certo em regiões como Novo Remanso, que nos oferece um dos melhores abacaxis do mundo, com baixa acidez, muito doce e alta produção”,  convida o Secretário da Sepror José Aparecido dos Santos.

Antes do fim do ano, nos dias 06 e 07 de dezembro, o Depe realizará mais um evento educacional em parceria com a Ulbra: I Congresso Interinstitucional de Ambiente e Agroecologia – ICIMA A com o tema Desafios e Oportunidades da Sociedade Sustentável. A opção por um evento de grande porte como esse, de acordo com Ellen Vaz, deu-se pela necessidade de integração entre especialistas, profissionais, alunos, agentes políticos, organizações e instituições que atuam no setor. “Esperamos colaborar com esse aprendizado coletivo e multidisciplinar, inserindo nos sistemas de produção, novos olhares e novas experiências”, diz Ellen. Para o Congresso o Departamento Pedagógico espera um público diversificado, devido a importância do tema nos dias atuais. Os conteúdos trabalhados estão voltados para a agricultura familiar, segurança e saúde, conceitos e indicadores de sustentabilidade, logística reversa, pesquisa, educação, crédito, legislação ambiental, políticas públicas, viabilidade socioambiental e econômica, economia ecológica, beneficiamento de produtos agroflorestais, mercado justo e certificação e construção do conhecimento. “É uma grande ampla e diversificada. Quem participar do Congresso com certeza enriquecerá os próprios conhecimentos e terá a possibilidade de colaborar de maneira mais efetiva com o desenvolvimento do nosso estado”, conclui Ellen Vaz.