Para quem não abre mão de um bom peixe, sabe que tanto para vender quanto para consumir é muito melhor quanto ele está sem espinhas. Pensando em auxiliar feirantes e o público em geral, a secretaria de Produção Rural (Sepror), por meio da Secretaria Executiva de Pesca e Aquicultura (Sepa), vai oferecer a “Oficina de retirada de espinha de peixes” dentro da programação da IV Mostra de Extensão no currículo escolar, que ocorre na próxima quarta-feira (29). Com o tema: Aproximação de Saberes Comunitários aos Saberes Escolares, o evento é realizado pelo Instituto Federal de Educação (Ifam Cita - Itacoatiara) e será aberto ao público. A representação da Sepror/Sepa será feita pelo engenheiro de Pesca, Edson Luniere Porto, que vai ministrar a oficina.   “Atualmente é fundamental para os feirantes e para quem trabalha com alimentação, ter o conhecimento de como são preparados os alimentos, no caso, a retirada das espinhas dos nossos peixes. Isso dá segurança e pode ser mais uma oportunidade de negócios para quem cria peixes”, elogia José Aparecido dos Santos, secretário da Sepror. “O aprendizado continuado é fundamental para o homem do interior”, completa. Mercado de pescado em ascensão O curso de retirada de espinhas é um dos mais solicitados. A alta demanda indica que os próprios produtores querem fazer esse serviço, para consumo próprio ou para agregar mais valor aos peixes comercializados por eles  . O mercado consumidor de peixes no Amazonas apresenta crescimento, ano a ano. Para as espécies de Tambaqui e Matrinxã, a retirada das espinhas tem a preferência de grande parte dos consumidores, nos restaurantes e nas feiras. “É uma técnica simples, que com treinamento pode ser executada por qualquer pessoa. Algumas pessoas em Manaus vivem somente de tirar a espinha dos peixes, ou seja, é também uma oportunidade de trabalho”, enfatiza Edson Luniere, da Sepa.