Com um saldo de 40 carteiras para vagas preferenciais emitidas no período de 22 de fevereiro a 22 de março, encerrou nesta quinta-feira (22), a campanha de atendimento aos servidores que tenham direito às vagas preferenciais nos estacionamentos de Manaus, como é o caso de idosos e pessoas com deficiências ou mobilidade reduzida. Válida somente para os funcionários (e familiares próximos) lotados na Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror), Agência de Desenvolvimento Sustentável (ADS), Instituto de Instituto de Desenvolvimento Agropecuário Florestal e Sustentável (IDAM), e a Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Amazonas (Adaf) a campanha finalizou com saldo positivo. “Mesmo sem termos os números exatos de pessoas que têm o direito, penso que avançamos muito e que a partir de agora, nossos servidores terão mais facilidade para usufruir dessa garantia prevista em Lei.”, comemorou a idealizadora da campanha, a gerente de Transportes da Sepror, Cátia Regina de Carvalho Tavares.  

Sistema Sepror sai na frente

Composto por aproximadamente 750 servidores diretos, o Sistema Sepror saiu na frente com a campanha de cadastro e sensibilização. “Identificar sua condição é também uma forma de respeitar todos os demais, que ao visualizarem credenciais e cartões oficiais saberão que não estão “sendo vítimas de espertinhos” e sim dando prioridade aos cidadãos que realmente têm necessidades especiais.”, afirmou o secretário da Sepror, José Aparecido dos Santos.

Penas mais duras

Em novembro de 2017, a Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa aprovou um projeto que aumentou em cinco vezes a multa para o condutor que estacionar em uma vaga exclusiva para idoso ou deficiente. Estacionar nessas vagas de forma indevida pode gerar uma autuação de R$ 293,47, além da inclusão de sete pontos no prontuário da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) pela infração gravíssima segundo o Código Brasileiro de Trânsito (CBT). Antes eram cincos pontos e multa de R$ 121,69.