agroindustria

 

O aumento da oferta de crédito rural e o acesso aos mercados institucionais têm estimulado e contribuído de forma significativa para a melhora do processo de beneficiamento e agroindustrialização da produção agropecuária e extrativista, objetivando agregar valor ao produto e, consequentemente, à geração de ocupação econômica e renda no meio rural.

Foram concentrados esforços na elaboração de projetos agroindustriais para agricultores familiares/produtores rurais e suas organizações, na implantação de unidades de produção de derivados de mandioca (casas de farinha Amazonas) e, sobretudo na capacitação de beneficiários nos processos de benefiamento e transformação de produtos da agropecária e do extrativismo.

No ano de 2015 fora implantadas oito, unidades de produção de derivados da mandioca. Atualmente existem 135 unidades, distribuídas em diversos municípios, que têm beneficiado mais de 3,2 mil famílias. Outras agroindústrias, como a de derivados do leite, polpas de frutas, cana de açúcar e castanha-do-brasil, também foram fomentadas pelos governos, principalmente na compra de seus produtos pelos mercados institucionais: PAA, PNAE e Preme.

Projetos arquitetônicos e de perfil foram realizadas com o intuito de implementar 9 agroindústrias de beneficiamento de pescado, de leite, de frutas e castanha-do-brasil.